SINDARSPEN solicita à Secretaria da Saúde que testes de diagnóstico para Covid19 sejam disponibilizados aos policiais penais



Uma das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para enfrentar a disseminação do novo coronavírus, causador da COVID-19, é realizar testes de diagnóstico. Para a entidade, a realização em larga escala de exames, combinada com o isolamento social, é o caminho ideal para proteger a população da pandemia.

Com o alastramento da epidemia, o Ministério da Saúde anunciou, no final do mês de abril, a distribuição de cerca de 23 milhões de exames rápidos para detecção da doença em trabalhadores da área da saúde e segurança. Diante disso, a diretoria do Sindicato dos Policiais Penais do Paraná (SINDARSPEN) oficiou a Secretaria do Estado da Saúde (SESA) solicitando que os testes sejam disponibilizados aos policiais penais e presos sob custódia do Departamento Penitenciário do estado do Paraná.

O pedido se reforça também quando há tramitando no Congresso Federal um projeto que inclui os policiais penais no rol das categorias essenciais no combate ao coronavírus e com prioridade para realizar os testes de diagnóstico. Trata-se do projeto de lei 1409/20 que foi aprovado no Senador Federal, nesta semana, e vai agora para votação na Câmara Federal, antes de seguir para a sanção presidencial. O projeto determina a adoção de medidas imediatas que conservem a saúde e a vida de todos os profissionais essenciais ao controle das doenças e à manutenção da ordem pública, durante a emergência da saúde pública.

Para o presidente do SINDARSPEN, Ricardo de Carvalho Miranda, é importante se antecipar à possiblidade do contágio e disseminação da doença no sistema penitenciário do Paraná. “Precisamos de mais ações planejadas de prevenção à COVID-19 e também de atendimento seguro se houver o contágio. Policiais penais fazem parte das profissões essenciais neste momento da pandemia e é preciso que os testes estejam disponíveis, com urgência.”

A mesma solicitação também foi feita ao Depen-Pr, que respondeu ao Sindicato ser de competência da Secretaria da Saúde definir pela distribuição dos testes. “Destacamos que estamos cobrando desde o mês de março, começo da pandemia, da SESP e DEPEN –PR, um plano de prevenção e combate ao coronavírus. Mesma cobrança também feoi feita pelo Ministério Público do Trabalho,” diz Ricardo.