Menu

Após denúncia do SINDARSPEN à Defensoria Pública, trabalhos externos são suspensos na Colônia Penal Agrícola Industrial.


21/03/2020


Na data de 20 de março de 2020, sexta feira, o Sindicato dos Policiais Penais do Paraná - SINDARSPEN solicitou à Secretaria do Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná que não fossem liberados mais presos para setores externos de trabalho, pois eles tem contato com o ambiente externo e retornam para o convívio com os demais presos.
 
A medida repassada aos policiais do Paraná foi para conter a entrada do coronavírus nas unidades prisionais do Estado. 
 
Infelizmente a gestão da Colônia Penal Agricola Industrial - CPAI, mesmo após a solicitação do SINDARSPEN, exigiu que policiais penais fizessem a liberação de presos para trabalhar em setor externo da empresa Metalkraft. Por isso, o sindicato entrou em contato, neste sábado, 21 de março, com diversas entidades ligadas à execução penal, para tratar da suspensão da liberações de presos para setores externos de trabalho. 
 
A Defensoria Pública, diante da denúncia feita pelo SINDARSPEN, acionou a Vara de Execuções Penais que suspendeu os setores externos de trabalho da CPAI. A direção da unidade já foi informada da decisão e também os policiais penais para que não realizem mais a soltura de presos para setores de trabalhos externos.
 
O Sindarspen também vem recebendo denúncias de que há irregularidades em outras unidades do Estado, como é o caso da Cadeia Publica de Laudemir Neves -  CPLN, onde funcionários de uma empresa terceirizada continuam realizando trabalhos de reforma em um dos pátios de sol da unidade. Os trabalhadores entram e saem com frequência da unidade, entrando em contato frequentemente com presos. Outro caso que chegou até o Sindarspen é da Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste - PECO, onde presos também continuam saindo para realizar trabalho  externo.
 
 Diante desses casos de negligência com a saúde dos servidores e dos presos, o SINDARSPEN vai denunciar todos os atos acima citados para as autoridades competentes, além de também acionar nosso departamento jurídico para o ingresso de ação penal responsabilizando quem não esteja observando as orientações de prevenção de riscos feitas pelas autoridades sanitárias, colocando em perigo os policiais penais, presos e também a sociedade.
 
Negligenciar os protocolos de prevenção da Covid-19 é praticar crime contra a saúde pública!
 
Att
 
Sindicato dos Policiais Penais do Paraná - SINDARSPEN

Tags: coronavírus, sistema penitenciário, paraná, policiais penais