Menu

Governo do estado entrega armas que serão acautelados a agentes penitenciários

SINDARSPEN cobrou que além de equipamentos, governo invista na contratação de pessoal
08/05/2019


O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou nesta quarta-feira (8), em cerimônia no Palácio Iguaçu, uma série de equipamentos ao Departamento Penitenciário do Paraná. Os investimentos somam R$ 22 milhões, com recursos oriundos do próprio Estado e do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen).

O pacote contempla 10 caminhões modelo F4000 para o transporte de presos, 40 fuzis para o SOE, 1.700 rádios comunicadores digitais com sistema próprio de interoperabilidade e capacidade de interlocução entre cidades diferentes e 2.800 mil pistolas, que se serão acauteladas aos agentes penitenciários, atendendo a um pedido do SINDARSPEN diante de demanda da categoria.  

Automação

Durante a cerimônia, o governador também se comprometeu em dar atenção especial à automação das unidades penais, outra questão que vem sendo pautada pelo SINDARSPEN. A entidade vem intermediando desde 2017 a parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo para que seja implantado no PR projeto semelhante ao do estado vizinho.

Contratação de agentes

O presidente do SINDARSPEN, Ricardo Miranda, reforçou com o governador que a entrega de equipamentos é importante, mas que o governo precisa dar uma solução urgente para o maior gargalo do sistema penitenciário no estado, que é a falta de pessoal.

A questão também foi colocada pelo Sindicato para os jornalistas que cobriam a cerimônia. Em resposta aos questionamentos da impresa, Ratinho Junior declarou que a contratação de agentes e a efetivação do plano de carreira quem vem sendo debatido com o SINDARSPEN estão entre as pautas prioritárias do governo na gestão do sistema penitenciário.

Desde 2010, o número de presos nos presídios do Paraná subiu de 14 mil para 22 mil, enquanto o número de agentes caiu. Das 4.131 vagas na carreira de agente penitenciário, atualmente, apenas 3.098 estão ocupadas. 

Para atender a demanda da segurança pública do estado, há a necessidade de contratação imediata de 4.300 agentes  e de mais 2.100 para trabalharem nas unidades previstas para serem inauguradas pelo governo, conforme dimensionamento feito pelo próprio DEPEN. 

Há 6 anos não há concurso público para a área. A falta de agentes penitenciários compromete a segurança dos presídios e de toda a sociedade já que tudo que acontece numa unidade penal tem repercussão direta na prática de crimes nas ruas.

“Esperamos que o governador, de fato, cumpra com o compromisso de resolver a grave situação da falta de agentes no Paraná. Não temos mais qualquer condição de seguir nessa situação. Investir em equipamentos é muito importante, mas sem pessoal pra operar tudo isso, esse investimento pode se perder”, defendeu o presidente do SINDARSPEN.

 


Tags: automação, pccs, plano de carreira, concurso público