Menu

Justiça no caso Lodeval Ribas

O policial penal foi assassinado no ano passado em Ponta Grossa. Jurídico do SINDARSPEN atuou  na assistência de acusação e conseguiu a condenação dos envolvidos
12/02/2021


Os quatro acusados pela morte do policial penal Lodeval dos Santos Ribas foram condenados, nesta semana, na 1ª Vara Criminal de Ponta Grossa, pelo crime de latrocínio. O Sindicato dos Policiais Penais do Paraná (SINDARSPEN) atuou como assistente de acusação.

Lodeval, 53 anos, foi alvejado quando estava com amigos em um bar em Ponta Grossa, em fevereiro do ano passado. A atuação do jurídico do Sindicato, por meio do advogado Bernardo Milano, foi fundamental para que fosse comprovada na justiça que a motivação para o crime era o roubo da arma do policial. Uma das envolvidas no episódio conhecia anteriormente o servidor e o foco dos criminosos era a arma que Lodeval possuía por conta de sua atividade profissional. O revolver foi ofertado posteriormente pelos bandidos no mercado ilegal.

A configuração de latrocínio, argumentada pelo SINDARSPEN, possibilitou que os condenados recebessem penas maiores do que se fosse tipificado como homicídio. Anderson Luiz Rodrigues dos Santos foi condenado a 27 anos, 10 meses e 7 dias de reclusão e 315 dias; João Vitor Sbronski Domingues Vitor a 21 anos e 9 meses e 249 dias; Mayara Kuskoski de Oliveira a 22 anos e 3 meses e 255 dias; e Paulo Henrique dos Santos Martins a 21 anos e 10 dias.

Justiça na esfera cível

Com a sentença na esfera criminal, o Jurídico do SINDARSPEN vai agora buscar justiça na esfera cível. No ano passado, a Paraná Previdência indeferiu o pedido de pensão solicitado pela mãe de Lodeval, que morava e dependia financeiramente do filho. A sentença criminal reforça o fato de que a morte do servidor tem relação com a sua profissão já que o assassinato foi cometido para o roubo da arma que ele carregava por causa da atividade como policial penal.

O SINDARSPEN seguirá prestando todo o auxílio para a família de Lodeval Ribas. 

Homenagem realizada pelo policial penal Marcos Moreira ao saudoso Lodeval Ribas

 

 


Tags: