Menu

Penitenciária Feminina de Piraquara mecaniza portas das celas

Medida paliativa melhora a segurança das agentes enquanto a automação não chega no Paraná. Outras obras estão previstas para a unidade até o final do ano.
06/09/2019


Chuveiros nas celas, banheiro para as agentes nas galerias, melhores condições no alojamento das servidoras. Essas foram algumas das questões levantadas pelas trabalhadoras da Penitenciária Feminina de Piraquara (PFP) durante o I Encontro Estadual das Agentes Penitenciárias, realizado em agosto de 2018 pelo SINDARSPEN.

Passado um ano, o que mudou na PFP? Ainda há muito a ser feito, mas já é possível identificar alguns avanços. Desde fevereiro, a unidade vem sendo dirigida por duas agentes, Alessandra Antunes e Juliana Duarte (diretora e vice, respectivamente).  

Enquanto não é automatizada, usando o fundo rotativo, a direção da PFP mandou instalar portas mecanizadas nas celas. A medida reduziu o contato das agentes com as presas melhorando a segurança das servidoras. “Antes a gente ia pessoalmente abrir cada cubículo pras elas saírem pra o banho. Agora, a gente consegue liberar a saída delas somente quando estamos aqui no quadrante”, explica a agente Célia Aparecida.

A movimentação de presas na PFP é mais intensa do que nas demais penitenciárias do estado porque não existe chuveiro nas celas unidade, fazendo com que diariamente sejam movimentadas todas as 420 presas para tomar banho. Essa situação, por sinal, é um dos maiores problemas levantados pelas trabalhadoras do local há anos.

Segundo a diretora Alessandra Antunes, a PFP aderiu neste ano a um registro de preço que vai permitir a reforma hidráulica do prédio, com a preparação para a instalação dos chuveiros nos cubículos. A previsão é de que essa obra aconteça até o final do ano. A diretora relata que também está buscando junto à SESP recursos para iniciar as obras para redistribuição da energia no prédio para garantir água quente tão logo os chuveiros sejam instalados.

Além da questão hidráulica, estão previstas para acontecer nos próximos meses outras obras, como a reforma da galeria materno infantil, substituição das portas das galerias e das grades dos pátios de sol, pintura dos corredores das galerias, impermeabilização das áreas com infiltração, instalação de concertina para aumentar a segurança no pátio de sol e a instalação de banheiro para as servidoras nas galerias D e E. No total, serão R$ 718 mil em melhorias.

O alojamento das agentes também está em processo de reforma. “Antes ele ficava na parte de baixo, perto das galerias e, agora, estamos trazendo aqui pra o prédio da administração, dando mais segurança pra todas”, afirma Alessandra.

Após levantamento feito junto às servidoras da unidade, na semana passada, as delegadas sindicais do SINDARSPEN na PFP, Lyslaine Mainarte e Maria Izabel Teixeira, entregaram para a direção da unidade uma relação de reparos necessários na Penitenciária. Alguns deles já estão na previsão de obras para acontecer até o final de 2019. Outros, ainda aguardam liberação de recursos, como a construção de um acesso que permita que, ao serem movimentadas para fora das galerias, as presas não precisem passar por dentro do quadrante onde estão as agentes.


Tags: mulheres, condições de trabalho