Casa Civil remarca reunião e SINDARSPEN convoca categoria para acompanhar

Reunião foi remarcada para a próxima segunda (30). Sindicato convoca policiais penais e suas famílias para estarem na porta do Palácio no dia do encontro



A reunião agendada para esta terça-feira (24) pela Casa Civil com o SINDARSPEN para definir sobre o pagamento das promoções atrasadas dos policiais penais não aconteceu. O motivo alegado foi de que precisariam de mais tempo para preparar uma proposta para apresentar à categoria.

Segundo informações repassadas, ontem (23) a Casa Civil esteve reunida com a Secretaria de Segurança Pública, com o Comitê de Política Salarial e com a Procuradoria Geral do Estado para debater a questão. A reunião foi remarcada para a próxima segunda-feira (30).

Mesmo diante da remarcação, os dirigentes do SINDARSPEN presentes no Palácio Iguaçu decidiram permanecer no local para acompanhar o anúncio feito pelo governador Ratinho Jr. das promoções de outra categoria de servidores.

No caso dos policiais penais, além de autorizar as promoções, o Governo do Estado precisa fazer a redistribuição das vagas na carreira dos agentes no Quadro Próprio Poder Executivo, para liberar as promoções atrasadas. Há mais de três anos, quase 1.000 agentes da classe III aguardam pela primeira promoção que não ocorre porque não há vagas disponíveis para o acesso deles na classe II. A redistribuição dessas vagas pode ser feita por um decreto do governador.

Após o pagamento da dívida com esses servidores, caberá ao Governo do Estado implantar um plano de carreira justo e construído com a participação dos trabalhadores.

NÃO VAMOS ACEITAR RETROCESSOS

Em várias ocasiões, interlocutores do Governo vêm falando em fazer o pagamento das promoções atrasadas na transposição da tabela para um Plano de Carreira que vem sendo elaborado a sete chaves pela gestão e que não respeita as negociações realizadas em 2019 com os servidores. 

Essa suposta solução é repelida pela categoria porque, além de ignorar o que pensam os maiores afetados por ela, significaria que um terço dos policiais penais não receberiam aquilo que o Governo deve a eles há mais de 3 anos. A medida prejudicaria não só os que ficariam sem promoção, mas toda a categoria, pois representa um Plano de Carreira sem benefícios aos trabalhadores. (Clique aqui e entenda o plano do governo)

É de conhecimento público que o problema não é falta de dinheiro, pois o governador vem comemorando em todos os lugares o aumento da receita do Paraná mesmo no contexto da pandemia, e o próprio secretário da SESP, Coronel Rômulo Marinho, já admitiu várias vezes que a pasta tem recursos para pagar o que nos deve. 

PRECISAMOS ESTAR MAIS UNIDOS QUE NUNCA

Se o governador está realmente disposto a garantir as promoções dos servidores do Paraná, exigimos que não sejamos deixados de lado. Já foram promovidos os servidores da Segurança Pública e do QPPE e nós, que integramos os dois grupos, seguimos a ver navios enquanto não houver a redistribuição de vagas na nossa carreira no QPPE.

A pressão para que isso mude se faz cada dia mais necessária. O Governo do Estado pediu ao SINDARSPEN 10 dias para apresentar uma proposta. Esse prazo vence na sexta-feira (27), portanto, na próxima segunda (30), quando está agendada a nova reunião com a Casa Civil, o Sindicato convoca toda a sua base para estar presente, a partir das 8 horas, em frente ao Palácio Iguaçu, no Centro Cívico.

Vamos levar as nossas famílias e mostrar que por trás desse colete preto há pais e mães de família que não suportam mais o peso de tanto descaso do Governo com seus direitos.

Os servidores do interior devem procurar os dirigentes sindicais locais e se informar sobre as caravanas para Curitiba.

O resultado dessa reunião vai ser decisivo para os próximos rumos da nossa luta.